Olho vivo! Cuidado com boletos bancários fraudados.

Alguns de nossos clientes têm recebido e-mails – supostamente de nosso Departamento Financeiro – informando problemas diversos com boletos de pagamento de nossa emissão, e substituindo-os por novos, “corrigidos”.

ATENÇÃO: ESSES NOVOS BOLETOS SÃO FALSOS e não devem ser utilizados!!!

A Kotek (Heilind Electronics Brasil) não envia esse tipo de comunicado. Quaisquer problemas de cobrança são tratados por nosso Departamento Financeiro diretamente com os clientes, e só depois disso novos boletos são emitidos.

Infelizmente os golpistas estão cada vez mais “competentes” e conseguem enviar mensagens muito parecidas com as cobranças originais. Quem as recebe acaba pagando a fatura falsa e só vai perceber o engodo quando recebe um novo aviso de cobrança do fornecedor ou do cartório.

Para evitar ser vítima desse tipo de fraude, siga essas recomendações:

1. Desconfie sempre de mensagens com os seguintes assuntos:
– “aviso de bonificação/crédito”;
– “acerto de divergência no cálculo de alíquota de Pis/Cofins”;
– “aviso de protesto – título: número tal”;
– “aviso urgente – título: número tal”;
– “urgente, boleto em aberto”;
– “sua dívida ainda continua no nosso sistema”;
entre outros.

2. Confira se o e-mail que você recebeu foi enviado por um de nossos endereços eletrônicos autorizados:
– lporto@kotek.com.br (Luciana Porto);
– marilene.rocha@kotek.com.br (Marilene Rocha); ou
– adm@kotek.com.br.

3. Faça a checagem dos dados bancários que constam do boleto, principalmente nos três primeiros números do documento e no campo “nosso número” (segunda sequência de 12 números do boleto bancário). Os falsários alteram esses números, de modo que o pagamento, ao invés de ir para o banco “A”, vai para uma conta do banco “B”. Ex.: numa cobrança do Itaú, esses três números devem ser 341; mas são trocados por 237, número do Bradesco. Os códigos dos bancos podem ser encontrados no site da Febraban (Federação Brasileira de Bancos): http://www.buscabanco.com.br/

4. Verifique o código de barras – normalmente eles são alterados para impedir sua leitura por terminais de caixa eletrônico ou aplicativos bancários de celular, obrigando o pagador a fazer a digitação do número falso para efetuar o pagamento do título.

5. Se sua empresa utiliza o serviço DDA – Débito Direto Autorizado (principal providência recomendada pela Febraban para evitar esses problemas de segurança), verifique junto ao seu banco se o boleto em questão aparece na listagem de títulos em cobrança vinculados ao seu CNPJ.

Embora saibamos da dificuldade em rastrear a origem desse tipo de crime eletrônico que vem se espalhando e fazendo vítimas tanto do lado de clientes, quanto de fornecedores, de nossa parte já tomamos as providências cabíveis para o caso: informamos as instituições bancárias com as quais trabalhamos; registramos Boletim de Ocorrência; e agora enviamos esse comunicado a todos os nossos clientes. Mas, lembre-se: nada substitui a conferência meticulosa dos documentos recebidos por e-mail ou correio tradicional – sejam eles enviados em nosso nome, ou de qualquer outra empresa.

Persistindo qualquer dúvida, entre em contato conosco através dos telefones (11) 3017-8797, 3017-8793 e 2729-8496.

Kotek (Heilind Electronics Brasil)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


*